Pessoal

O tempo passa, mas sempre fica algum resquício de alguma coisa por aí

Hoje resolvi entrar no falecido Orkut para fazer o back-up do meu perfil. É impossível não se assustar com as mudanças que passei desde então. É como se parte da minha vida – e de vários sentimentos – ficassem congeladas, fotografadas, em uma página da Web. Um turbilhão de sensações nostálgicas, para o bem ou para o mal. Era a pseudo-liberdade dos recém-18 anos, era a aflição cotidiana e torturadora do vestibular, era o carinho dos amigos que faziam parte do cotidiano, e hoje cada um tá por aí, nesse mundão doído.

Curioso, né?

Naquela época, eu tinha favoritado dois vídeos com músicas da trilha sonora de um jogo de videogame que eu gostei muito, o Read Dead Redemption. Agora, ouvindo de novo, é como se eu pudesse lembrar da tristeza que senti quando não passei na Fuvest, porém lembrar com ternura e com outro olhar aquele período – que pra mim foi tão difícil, não só pela prova, mas pela provação pessoal. É como se eu pudesse compreender toda aquela tristeza experimentada, o que hoje me conforta e me deixa mais confiante para o que está por vir.

Fica aí, para quem quiser ouvir… :