Pessoal

Saia do automático e espalhe gentileza: a lei do retorno pode ser boa

É difícil não se deixar abater pelo cotidiano. Mesmo caminho, mesmas pessoas, mesmo trabalho. É como se, para evitar questionamentos sobre os rumos da vida – normalmente acompanhados de uma pitada de sofrimento, arrependimento e sentimentos afins – entrássemos no modo automático, aceitando inconscientemente nosso destino, seguindo a manada. E quando se trabalha e estuda, então, as… Continuar lendo Saia do automático e espalhe gentileza: a lei do retorno pode ser boa

Pessoal

Coisas boas acontecem (mas precisamos estar atentos)

Ontem de manhã foi um dia que começou difícil. Estava preparando meu café da manhã quando eu e minha mãe discutimos feio. O dia tinha tudo para começar e terminar mal, afinal, todo o relaxamento do despertar foi embora assim que começou a discussão, e a sensação de calma e de que seria um bom… Continuar lendo Coisas boas acontecem (mas precisamos estar atentos)

Pessoal

29 de fevereiro daqui a quatro anos

Ano bissexto é uma coisa curiosa. Nunca entendi direito porque ele existe, só sei que ganhamos – ao menos no calendário – um dia a mais de vida com ele. Se não fosse pelo aviso do Facebook na minha linha do tempo provavelmente eu nem perceberia a existência dessa data, mas ele me lembrou e,… Continuar lendo 29 de fevereiro daqui a quatro anos

Pessoal

Quando a resignação é a melhor das opções

É curioso como algumas convicções e ideias são, a princípio, tão importantes para nós e ganham densidade surpreendente em nossa existência, a ponto de ser bem desconfortável pensar em abrir mão delas. Não só desconforto, pode ser medo também, afinal não sabemos qual será o custo de abandonar velhos hábitos, velhas ideias, velhas pessoas. Mas,… Continuar lendo Quando a resignação é a melhor das opções

Pessoal

O tempo passa, mas sempre fica algum resquício de alguma coisa por aí

Hoje resolvi entrar no falecido Orkut para fazer o back-up do meu perfil. É impossível não se assustar com as mudanças que passei desde então. É como se parte da minha vida – e de vários sentimentos – ficassem congeladas, fotografadas, em uma página da Web. Um turbilhão de sensações nostálgicas, para o bem ou… Continuar lendo O tempo passa, mas sempre fica algum resquício de alguma coisa por aí